Desde as 4h30 deste sábado (19) um grupo de aproximadamente 40 voluntários se reúne, com apoio do Ibama, na praia de Maracaípe para retirar manchas de óleo que chegam à areia. A ação chamada ‘Muda Junto Maraca’ foi planejada pela ONG Salve Maracaípe. Para colaborar, a Prefeitura de Ipojuca está disponibilizando luvas, botas, máscaras e sacos.

De acordo com Juvenal dos Santos, comerciante local, o cenário é de otimismo. “Quando saímos agora de manhã, a praia já estava toda inundada com esse vestígio de óleo. Toda a nossa comunidade se juntou para fazer a limpeza e graças a Deus que nós estamos resolvendo o problema. Esperamos que os nossos clientes e as pessoas que frequentam Maracaípe cheguem tranquilos e venham nos visitar”, comenta.

Além do Pontal de Maracaípe, também foi identificado óleo nas praias de Camboa, Toquinho, Merepe, Enseadinha, Cupe, Muro Alto e Serrambi. A Praia de Porto de Galinhas, até às 15h30, não havia recebido nenhuma mancha de óleo, mas o monitoramento está sendo feito de forma ostensiva nos 33km da orla ipojucana. Oitenta pessoas da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano estão divididas nas praias, entre eles biólogos, engenheiros de pescas, geólogos e oceanógrafos. Cento e oitenta servidores da Defesa Social entre Guardas Municipais, Defesa Civil e Salva-Vidas ajudam na segurança, monitoramento da orla, transporte, e destinação final da substância.       

Em um áudio que circula por grupos do Whatsapp, o coordenador de educação ambiental do Ipojuca, Rogério Nascimento, pede apoio aos locais para ajudarem na limpeza da região de Muro Alto. As principais recomendações são de não tocar no óleo.

Caso seja preciso removê-lo, o mínimo de areia deve ser retirado junto, sendo imprescindível o uso de luvas de borracha, máscaras, baldes e pás. O material removido deve ser armazenado em sacolas resistentes ou baldes. Caso o óleo entre em contato com a pele, a limpeza deve ser feita com gelo e óleo de cozinha. Em caso de reação alérgica ou ingestão, procurar imediatamente uma unidade de saúde. Animais manchados de óleo não podem ser tocados nem devolvidos ao mar. Quem os encontrar, deve abrigá-los do sol e pedir ajuda. 

Com Diário de Pernambuco