O empresário Magno César Rossi, diretor executivo do grupo Coteminas em Campina Grande, passa a ser a partir de hoje presidente interino da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), em substituição a Buega Gadelha, afastado das funções pelos próximos 90 dias por determinação do juiz Cesar Arthur Cavalcanti de Carvalho, da quarta Vara Federal em Pernambuco.

Buega Gadelha apresentou-se espontaneamente nesta terça-feira (19) em Brasília na Polícia Federal, em cumprimento a mandado de prisão contra ele expedido por envolvimento  na operação Fantoche, que apura supostas irregularidades de desvio de dinheiro nas organizações S.

O juiz federal Cesar Arthur acolheu o pedido de derrubar a prisão temporária dos investigados Hebron Costa Cruz de Oliveira, Ricardo Essinger, Robson Braga de Andrade, Francisco de Assis Benevides Gadelha (mais conhecido como Buega Gadelha) e José Carlos Lyra de Andrade, mas determinou o afastamento de todos eles das funções que exercem pelo prazo de noventa dias.

Apesar de colocar os investigados em liberdade, todos eles estão proibidos de assumir as funções de dirigentes em seus respectivos departamentos regionais e foi decretada ainda a proibição dos dirigentes de acessar ou frequentar as respetivas entidades a que são ligados.

O juiz considerou que como ainda há documentos a serem arrecadados e funcionários a serem ouvidos, tornando-se necessário o afastamento cautelar das suas funções.

Devido a isso, Buega Gadelha não poderá retornar imediatamente à sua função de presidente da FIEP-PB. Após 90 dias, com o fim das investigações, o juiz deverá analisar novamente a necessidade de manter o afastamento dos investigados de suas funções como dirigentes.

Fonte: Da Redação